quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Exercícios sobre verbos COM GABARITO

Use o verbo indicado entre parênteses escolhendo o modo (indicativo ou subjuntivo) e o tempo verbal mais adequados.

Tenho certeza de que ninguém .......(confiar) no prefeito, mas garanto que ele está certo.

Acreditamos que os professores ...... (ter) razão.

Pessoa alguma pode calcular que Renato .......(terminar) a prova de triatlo.

Estou certo de que .......(existir)uma livraria nesta rua.

Não tenho muita certeza de que .......(existir) uma livraria nesta rua.

O meteorologista garante que o tempo .......(ser) ótimo e que .......(fazer) bastante calor.

O meteorologista garantia que o tempo .......(ser) ótimo e que .......(fazer) bastante calor.

“O amor .......(deixar) de variar, se .......(ser) firme [...]”

É fundamental que você .......(ir) ao médico ainda hoje.

Garanto que você .......(ir) se sair bem dessa.



Empregue os verbos corretamente no subjuntivo.

Por mais que se .......(esconder) o amor, o olhar denuncia.

Espero que minha namorada se .......(arrepender) do que fez.

Esperaria que minha namorada se .......(arrepender) do que fez.

“Embora eu não .......(fazer) a menor ideia de onde estou e nem como vim parar neste quarto, não tenho vontade de sair daqui.”

Os organizadores do passeio pedem que vocês .......(trazer) roupas esportivas.
Não acredito que ela já .......(terminar) o exercício de matemática.

Não acreditei que ela já .......(terminar) o exercício de matemática.

Ainda que você .......(manter) o orçamento em dia, surgem imprevistos a toda hora.

Embora eu não .......(poder) sair com você, continuaremos sendo amigos.



FONTE: Língua Portuguesa : Linguagem e interação / Carlos Emílio Faraco, Francisco Marto de Moura, José Hamilton Maruxo Júnior. São Paulo: Ática, 2010. Pág. 319 (Adaptado)


GABARITO

Use o verbo indicado entre parênteses escolhendo o modo (indicativo ou subjuntivo) e o tempo verbal mais adequados.

Tenho certeza de que ninguém CONFIA no prefeito, mas garanto que ele está certo.

Acreditamos que os professores TÊM razão.

Pessoa alguma pode calcular que Renato TERMINARIA a prova de triatlo.

Estou certo de que EXISTE uma livraria nesta rua.

Não tenho muita certeza de que EXISTA uma livraria nesta rua.

O meteorologista garante que o tempo SERÁ ótimo e que FARÁ bastante calor.

O meteorologista garantia que o tempo SERIA ótimo e que FARIA bastante calor.

“O amor DEIXA de variar, se FOR firme [...]”

É fundamental que você VÁ ao médico ainda hoje.

Garanto que você IRÁ se sair bem dessa.

Empregue os verbos corretamente no subjuntivo.

Por mais que se ESCONDA o amor, o olhar denuncia.

Espero que minha namorada se ARREPENDA do que fez.

Esperaria que minha namorada se ARREPENDESSE do que fez.

“Embora eu não FAÇA a menor ideia de onde estou e nem como vim parar neste quarto, não tenho vontade de sair daqui.”

Os organizadores do passeio pedem que vocês TRAGAM roupas esportivas.

Ainda que você MANTENHA  o orçamento em dia, surgem imprevistos a toda hora.

Embora eu não POSSA sair com você, continuaremos sendo amigos.




VOCÊ PODERÁ GOSTAR TAMBÉM DE:

Exercícios sobre verbos irregulares e vozes ativa e passiva COM GABARITO



quarta-feira, 21 de setembro de 2016

COLOCAÇÃO PRONOMINAL: PRÓCLISE, ÊNCLISE E MESÓCLISE



Colocação pronominal é o estudo da colocação dos pronomes oblíquos átonos (me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, os, as, lhes) em relação ao verbo.


Os pronomes átonos podem ocupar 3 posições:
- antes do verbo (próclise),
- no meio do verbo (mesóclise)
- depois do verbo (ênclise).
 
Veja:
 
PRÓCLISE


Usamos a próclise nos seguintes casos:


(1) Com palavras ou expressões negativas: jamais, não, nunca, nem, nada, ninguém, de modo algum.


Nada me entristece.
Ninguém se incomodou.
Ela nem se preocupou com os animais.
De modo algum me afastarei daqui.

(2) Com conjunções subordinativas: quando, se, embora, logo,porque, que, conforme, que.

É preciso que a deixe em casa.
Quando se trata de texto, ele é muito bom.
Fazia as coisas, conforme me lembrava das prioridades.
3) Advérbios

Sempre me dediquei à família.Aqui se vê alegria.Talvez o veja hoje.

ATENÇÃO: Se houver vírgula depois do advérbio, este (o advérbio) deixa de atrair o pronome.
 
Aqui, vive-se bem.
 
(4) Pronomes relativos, demonstrativos e indefinidos.

O rapaz que me ligou era meu namorado. (relativo)Alguém me chamou? (indefinido)Aquilo me traz conforto. (demonstrativo)

(5) Em frases interrogativas.

Quando me falará a verdade?

(6) Em frases exclamativas ou optativas (que exprimem desejo).

Deus o abençoe!
Macacos me mordam!
Deus te abençoe, meu filho!

(7) Com verbo no gerúndio antecedido de preposição EM.

Em se plantando tudo colhe.Em se tratando de sabedoria, ele é destaque.

(8) Com formas verbais proparoxítonas.

Nós o procurávamos.

MESÓCLISE

Usada quando o verbo estiver no futuro do presente (vai acontecer – amarei, amarás, ...) ou no futuro do pretérito (ia acontecer mas não aconteceu – amaria, amarias, ...)

Falar-me-ão sobre o assunto.
Falar-me-iam sobre o assunto.

Se houver uma palavra atrativa, a próclise será obrigatória.

Não (palavra atrativa) me falarão sobre o assunto.

ÊNCLISE

a) Ênclise de verbo no futuro e particípio está sempre errada.

Esconderei-me de todos. (errada)
Tinha falado-nos sobre o assunto (errada)

b) Ênclise de verbo no infinitivo está sempre certa.
 
Não posso recebê-lo. (correta)
Entregar-lhe a correspondência(correta)

Outros casos:
- Com o verbo no infinitivo impessoal: Convém falar-lhe tudo.
- Com o verbo no início da frase: Entregaram-me os envelopes.
- Com o verbo no gerúndio: Saiu deixando-nos por instantes.
- Com o verbo no imperativo afirmativo: Comportem-se, crianças.


ATENÇÃO: se o gerúndio vier precedido de preposição ou de palavra atrativa, ocorrerá a próclise:


Em se tratando de cinema, prefiro o suspense.
Saiu de casa, não nos falando os motivos.




COLOCAÇÃO PRONOMINAL NAS LOCUÇÕES VERBAIS


As locuções verbais são formadas por 
 
um verbo auxiliar  + infinitivo, gerúndio ou particípio.


AUXILIAR + PARTICÍPIO: o pronome deve ficar depois do verbo auxiliar. Se houver palavra atrativa, o pronome deverá ficar antes do verbo auxiliar.

Havia-lhe falado o segredo.Não (palavra atrativa) lhe havia falado o segredo.

AUX + GERÚNDIO OU INFINITIVO: se não houver palavra atrativa, o pronome oblíquo virá depois do verbo auxiliar ou do verbo principal.
 
Gerúndio
Ia-lhe falando a verdade.Ia falando-lhe a verdade.
 
Infinitivo
Quero-lhe falar a verdade.Quero falar-lhe a verdade.

Se houver palavra atrativa, o pronome oblíquo virá antes do verbo auxiliar ou depois do verbo principal.
 
Gerúndio
Não lhe ia contando tudoNão ia contando-lhe tudo.
 
Infinitivo 
Não lhe quero falar o que aconteceu.Não quero falar-lhe o que aconteceu.


BONS ESTUDOS.








Questões de Concurso - GABARITO COMENTADO


PROFISSIONAL JÚNIOR - COMUNICAÇÃO SOCIAL 3
LIQUIGÁS




LÍNGUA PORTUGUESA

Eu sei, mas não devia

Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E, não acreditando nas negociações de paz, aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração. A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir ao telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. [...] E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra. [...] A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar-condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinho, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas de mais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. [...] E se no fim de semana não
há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se de faca e baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma.

COLASANTI, Marina. Eu sei, mas não devia.
Rio de Janeiro: Rocco, 1996. p. 9. Adaptado.

1 - A partir da leitura do texto, pode-se inferir que o leitor é conduzido a construir uma(um)

(A) reação ignorante diante das constantes atitudes de indiferença.
(B) reflexão sobre o fato de muitos se mostrarem inertes diante da vida.
(C) visão pejorativa dos que se acostumam às situações complexas da vida.
(D) visão revoltada acerca dos frequentes noticiários sobre guerras e mortos.
(E) estímulo a um posicionamento áspero em relação à complexidade da vida.

2 - A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos.” Nós nos acostumamos a morar em apartamentos de fundos. A troca de pronomes também respeita as regras de concordância estabelecidas na norma-padrão em:
(A) Tu te acostuma / Você se acostuma.
(B) Tu se acostuma / Você se acostumas.
(C) Tu te acostumas / Você se acostuma.
(D) Tu te acostumas / Você vos acostuma.
(E) Tu te acostumas / Você vos acostumais.

3 - No segundo parágrafo do texto, a autora propõe uma relação de causa e efeito para justificar seu ponto de vista sobre o tema abordado a partir do emprego do conectivo porque, cuja grafia é orientada por seu valor gramatical.

Está também grafado corretamente o que se destaca em:

(A) Sei porquê você chorou ontem.
(B) Não sei o por quê de tanta pressa.
(C) Ele está triste porquê foi transferido.
(D) Não sei o motivo por que ele não veio.
(E) Quero saber porque você não foi à festa.

4 - A leitura do trecho “A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar” permite concluir que as preposições são exigidas, respectivamente, pelos seguintes verbos:

(A) desejar e ganhar.
(B) desejar e pagar.
(C) pagar e desejar.
(D) necessitar e ganhar.
(E) necessitar e pagar.

5 - As crases grafadas no início de cada uma das seguintes frases do texto se justificam pela exigência do verbo acostumar: “Às bactérias de água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios.” Uma quarta frase que poderia estar nessa sequência, grafada de acordo com a norma-padrão, seria a seguinte:

(A) À ver injustiças.
(B) À vida sem prazer.
(C) À alguma forma de tristeza.
(D) À todas as mazelas do mundo.
(E) À essa correria em busca do sucesso.

6 - A opção por uma linguagem informal, em algumas passagens do texto, permite jogos de palavras como o que se verifica no emprego de Se nas seguintes frases:
Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço.”
Se acostuma para evitar feridas, sangramentos.”

Nos trechos acima, as palavras em destaque classificam-se, respectivamente, como
(A) conjunção e pronome
(B) conjunção e preposição
(C) pronome e preposição
(D) pronome e conjunção
(E) conjunção e conjunção

7 - A palavra que da linha “Eu sei que a gente se acostuma” tem o mesmo valor sintático e morfológico do que se destaca em:

(A) Vamos ao Maranhão, que a passagem está barata.
(B) Ainda que chova, irei ao encontro.
(C) Há mais razões para sorrir que para chorar.
(D) Ele espera que tudo dê certo.
(E) A cidade em que nascemos só prospera.

8 - Em “Se acostuma a não ouvir passarinho” , o pronome não está colocado de acordo com a norma-padrão. Esse desvio da norma-padrão ocorre também em:
(A) Ele estava-nos seguindo.
(B) Espero que nunca nos julgue.
(C) Não me disseram a verdade.
(D) Sempre valorizaram-me muito!
(E) A mulher encheu-se de esperanças.

9 - De acordo com as regras de acentuação, o grupo de palavras que foi acentuado pela mesma razão é:

(A) céu, já, troféu, baú
(B) herói, já, paraíso, pôde
(C) jóquei, oásis, saúde, têm
(D) baía, cafeína, exército, saúde
(E) amiúde, cafeína, graúdo, sanduíche

10 - As palavras destacadas abaixo não se diferem somente quanto à pronúncia mais ou menos forte. “A gente se acostuma a coisas de mais.”e “não muito o que fazer”

A frase em que a palavra destacada foi usada adequadamente à norma-padrão é a seguinte:
(A) Sua casa fica a muitos quilômetros daqui.
(B) Visitarei meu irmão daqui dois dias.
(C) Passei no vestibular a cerca de sete anos.
(D) muitas crianças dediquei a minha vida.
(E) A dois dias cheguei da viagem ao Pará.



GABARITO
1-B

2-C
Veja a conjugação do verbo e os pronomes conforme as pessoas:
Eu me acostumo, tu te acostumas, ele/você se acostuma, nós nos acostumamos, vós vos acostumais, eles/vocês se acostumam.
 
3-D
Veja aqui explicação sobre o uso dos porquês. 


4-E
Devemos analisar o verbo e a preposição que exige. Exemplo: quem necessita, necessita DE alguma coisa; paga COM dinheiro)

5-B
(verbos, palavras no plural e pronomes indefinidos e demonstrativos não aceitam crase.)

6-A (Conjunção condicional SE; e pronome obliquo SE – ele se acostuma)

7-D (A palavra QUE,neste caso, introduz uma oração subordinada substantiva objetiva direta)
Veja aqui explicação sobre este assunto.

8 –D (O advérbio SEMPRE atrai a próclise)

9 –E (Todas as palavras têm hiato)

10-A (usamos “há” para tempo passado ou no sentido de existir; usamos “a” para tempo futuro e distâncias) Veja explicação aqui.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Exercícios sobre conjunções coordenadas e subordinadas COM GABARITO

I - Sublinhe as conjunções ou locuções conjuntivas das orações abaixo.
     No pontilhado, diga o tipo de relação estabelecida por essa conjunção.

1) Como todos previam, o problema  está piorando. ............................................
2) Posto que você não goste, seu trabalho está bom. ......................................................
3) Como ele entrou sério na sala, ninguém ousou reclamar. .....................................
4) Você poderá fazer um belo bolo, desde que procura uma receita. ..................................
5) Você fala pouco, uma vez que não gosta de discutir.....................................
6) Ele tremia tanto, que nem podia ficar em pé. ..................................................
7) Ele tentará consertar o computador, conquanto não entenda muito de informática. .................................
8) Tão grande foi o esforço que a nota foi a melhor da sala. .......................................
9) Assim que percebemos nossas falhas, fizemos as correções necessárias. ........................................
10) Desde que cheguei aqui, não ouvi nenhum comentário. ........................................
11) O homem andava balançando como um bêbado. ...................................................
12) Fale baixo para que as crianças não acordem. ..................................
13) Já que não sabes utilizar esse material, vou procurar outro  .........................................................
14) Ontem estive doente, de modo que não fui à escola. ..........................................
15) Quanto mais eu estudava, mais minha mãe se orgulhava. ......................................
16) Mal o professor começou a aula, todos se calaram. ..................................................
17) Digo sempre a verdade, embora me arrependa depois...........................................................
18) No mundo há sempre menos sinceridade que violência.  ........................................
19) A manifestação terminará, desde que a proposta almejada seja aceita. ...................................................
20) Quanto mais a civilização progride, mais a ecologia sofre prejuízos. ........................ ...................

II - Assinale a alternativa em que a conjunção COMO estabeleça o mesmo tipo de relação que na frase seguinte:   “Tudo aconteceu COMO queríamos”.

a) Como escorregou, caiu.
b) Ficou animado como esperávamos.
c) Andava devagar como uma lesma.
d) Como me atrasei, perdi o ônibus.
e) Pulou o muro rápido como um gato.

III - Sublinhe as orações subordinadas adverbiais e classifique-as de acordo como código.

(A) proporcional
(B) comparativa
(C) causal
(D) conformativa
(E) condicional
(F) concessiva
(G) consecutiva
(H) final
(I ) temporal

1( ) Resolvemos entrar na sala, se bem que estivesse lotada.
2( ) Você pode se dar bem em aqui, desde que saiba dirigir.
3( ) Como o colégio era perto, sempre íamos a pé.
4( ) Mal nos aproximamos da igreja, o coração começou a bater.
5( ) A preguiça gasta a vida como a ferrugem consome o ferro.
6( ) Quanto mais corria, mais se cansava.
7( ) Ela me reconheceu apenas lhe dirigi a palavra.
8( )O aluno sentiu-se muito motivado, mesmo que estivesse cansado.
9( ) Minha imaginação se foi como o vento.
10( ) Cada um colhe segundo semeia.
11( ) Este ano estudei mais do que no ano passado.
12( ) A vida tornou-se mais agitada do que era antes.
13( ) Trabalho hoje, para que não me falte dinheiro amanhã.
14( ) Ele terá o prêmio desde que o mereça.
15( ) À proporção que se estuda, aprende-se cada vez mais.
16( ) Estarão aqui, enquanto precisarem.
17( ) Nossos sonhos se desfazem como as espumas do mar.
18( ) Deus amou tanto o mundo que lhe deu seu filho único.
19( ) Como estava muito cansado ontem, fui deitar cedo.
20( ) Ninguém é tão rico que não precise de nada.
21( ) Naquele país, segundo afirmam, há oportunidades de emprego.
22( ) Como a estrada era perigosa, dirigi com cautela.
23( ) Só chegaremos cedo, caso saiamos agora.
24( ) Como você já percebeu, eu não disponho de capital.


IV - Classifique as conjunções abaixo em (A) coordenativas explicativas ou (B) subordinativas causais .

1( )Não interrompa, porque quero assistir a esse jogo.
2( )Respondam com bastante atenção, porque as questões são difíceis.
3( )Não consegui chegar no horário, porque o trânsito estava congestionado.
4( )Fui deitar cedo, porque estava cansado.
5( )Não compre esta calça, porque sei que você não precisa.
6( )Sua roupa está rasgada porque estava brigando.
7( ) Convoque os funcionários, porque a greve já terminou.
8( )Não deixe de estudar, porque amanhã haverá prova.
9( )Não olhou a chuva porque estava com medo.
10( )Meu pai me dispensou porque tinha um trabalho importante a fazer.

V - Complete os períodos com orações que estabeleçam a relação solicitada.
1) A fadiga ia aumentando ................................................................................................  (PROPORÇÃO)
2) A situação já estaria resolvida há muito tempo, ...............................................................  (CONDIÇÃO)
3) Foi levado às pressas ao hospital ...................... ......................................................................  (TEMPO)
4) A vida passa tão rápido ......................... ................................................................  (CONSEQUÊNCIA)
5) A aceitação do público é rápida, .. .........................................................................  (CONFORMIDADE)




“Independente do que estiver sentindo,
levante-se, vista-se e saia para brilhar” (Paulo Coelho)






GABARITO




I - Sublinhe as conjunções ou locuções conjuntivas das orações abaixo.
     No pontilhado, diga o tipo de relação estabelecida por essa conjunção.

1) Como todos previam, o problema  está piorando. CONFORMATIVA
2) Posto que você não goste, seu trabalho está bom.   CONCESSIVA
3) Como ele entrou sério na sala, ninguém ousou reclamar.     CAUSAL
4) Você poderá fazer um belo bolo, desde que procure  uma receita.    CONDICIONAL
5) Você fala pouco, uma vez que não gosta de discutir.      CAUSAL
6) Ele tremia tanto, que nem podia ficar em pé.      CONSECUTIVA
7) Ele tentará consertar o computador, conquanto não entenda muito de informática.     CONCESSIVA
8) Tão grande foi o esforço que a nota foi a melhor da sala.     CONSECUTIVA
9) Assim que percebemos nossas falhas, fizemos as correções necessárias.     TEMPORAL
10) Desde que cheguei aqui, não ouvi nenhum comentário.   TEMPORAL
11) O homem andava balançando como um bêbado.    COMPARATIVA
12) Fale baixo para que as crianças não acordem.     FINAL
13) Já que não sabes utilizar esse material, vou procurar outro.     CAUSAL
14) Ontem estive doente, de modo que não fui à escola. CONSECUTIVA
15) Quanto mais eu estudava, mais minha mãe se orgulhava.    PROPORCIONAL
16) Mal o professor começou a aula, todos se calaram.    TEMPORAL
17) Digo sempre a verdade, embora me arrependa depois.    CONCESSIVA
18) No mundo há sempre menos sinceridade que violência.  COMPARATIVA
19) A manifestação terminará, desde que a proposta almejada seja aceita.     CONDICIONAL
20) Quanto mais a civilização progride, mais a ecologia sofre prejuízos.     PROPORCIONAL

II - Assinale a alternativa em que a conjunção COMO estabeleça o mesmo tipo de relação que na frase seguinte:   “Tudo aconteceu COMO queríamos”.

a) Como escorregou, caiu.
b) Ficou animado como esperávamos.   X
c) Andava devagar como uma lesma.
d) Como me atrasei, perdi o ônibus.
e) Pulou o muro rápido como um gato.

III - Sublinhe as orações subordinadas adverbiais e classifique-as de acordo como código.

(A) proporcional
(B) comparativa
(C) causal
(D) conformativa
(E) condicional
(F) concessiva
(G) consecutiva
(H) final
(I ) temporal

1(F) Resolvemos entrar na sala, se bem que estivesse lotada.
2(E) Você pode se dar bem em aqui, desde que saiba dirigir.
3(C) Como o colégio era perto, sempre íamos a pé.
4( I ) Mal nos aproximamos da igreja, o coração começou a bater.
5(B) A preguiça gasta a vida como a ferrugem consome o ferro.
6(A) Quanto mais corria, mais se cansava.
7( I ) Ela me reconheceu apenas lhe dirigi a palavra.
8(F)O aluno sentiu-se muito motivado, mesmo que estivesse cansado.
9(B) Minha imaginação se foi como o vento.
10(D) Cada um colhe segundo semeia.
11(B) Este ano estudei mais do que no ano passado.
12(B ) A vida tornou-se mais agitada do que era antes.
13(H) Trabalho hoje, para que não me falte dinheiro amanhã.
14(E) Ele terá o prêmio desde que o mereça.
15(A) À proporção que se estuda, aprende-se cada vez mais.
16( I ) Estarão aqui, enquanto precisarem.
17(B) Nossos sonhos se desfazem como as espumas do mar.
18(G) Deus amou tanto o mundo que lhe deu seu filho único.
19(C) Como estava muito cansado ontem, fui deitar cedo.
20(G ) Ninguém é tão rico que não precise de nada.
21(D) Naquele país, segundo afirmam, há oportunidades de emprego.
22(C) Como a estrada era perigosa, dirigi com cautela.
23(E) Só chegaremos cedo, caso saiamos agora.
24(D ) Como você já percebeu, eu não disponho de capital.


IV - Classifique as conjunções abaixo em (A) coordenativas explicativas ou (B) subordinativas causais .

1(A)Não interrompa, porque quero assistir a esse jogo.
2(A)Respondam com bastante atenção, porque as questões são difíceis.
3(B)Não consegui chegar no horário, porque o trânsito estava congestionado.
4(B)Fui deitar cedo, porque estava cansado.
5(A)Não compre esta calça, porque sei que você não precisa.
6(B)Sua roupa está rasgada porque estava brigando.
7(A) Convoque os funcionários, porque a greve já terminou.
8(A)Não deixe de estudar, porque amanhã haverá prova.
9(B)Não olhou a chuva porque estava com medo.
10(B)Meu pai me dispensou porque tinha um trabalho importante a fazer.

V - Complete os períodos com orações que estabeleçam a relação solicitada.
1) A fadiga ia aumentando À PROPORÇÃO QUE SE ELE SE APROXIMAVA. (PROPORÇÃO)
2) A situação já estaria resolvida há muito tempo, SE ELE TIVESSE CHEGADO. (CONDIÇÃO)
3) Foi levado às pressas ao hospital QUANDO DESMAIOU.  (TEMPO)
4) A vida passa tão rápido QUE ÀS VEZES PARECE UM SONHO. (CONSEQUÊNCIA)
5) A aceitação do público é rápida, CONFORME OS NOTICIÁRIOS. (CONFORMIDADE)